Legitimidade Corporativa em Empresas Ambientalmente Sensíveis da B3: Análise dos Principais Assuntos de Auditoria

Gabrielle Pompeu Sodré, Antonio Gualberto Pereira

Resumo


O presente estudo buscou verificar se as empresas dos setores químicos e de madeira e papel da B3 evidenciam questões de natureza social e ambiental nos Principais Assuntos de Auditoria do “novo” relatório do auditor, para os períodos encerrados em 31 de dezembro de 2016 e 2017. Utilizou-se como plataforma teórica a Teoria da Legitimidade e a hipótese da pesquisa sustenta que empresas dos setores químicos e de madeira e papel da B3 divulgarão, nos principais assuntos de auditoria, informações de caráter socioambientais como forma de resgatar, manter ou prospectar legimidade perante os stakeholders. A metodologia envolveu a leitura detalhada dos relatórios de auditoria e, de forma específicas, dos PAA’s, das empresas selecionadas para a amostra, com vistas a identificar a evidenciação de termos aderentes a aspectos ambientais e sociais.  Os resultados apontam que algumas empresas do setor de madeira e papel apresentaram registros referentes apenas à mensuração do valor justo dos ativos biológicos e outros aspectos de políticas contábeis, sugerindo a não utilização da discricionariedade deste relatório para o resgate, manutenção ou prospecção de legitimidade. Apesar de seu caráter exploratório a presente pesquisa evidenciou uma posição neutra dos auditores no reporte de informações via principais assuntos de auditoria. Entre as limitações da pesquisa estão o exame de apenas dois exercícios sociais e a necessidade de um período de adaptação para contadores e gestores às alterações da norma.


Texto completo:

73-86

Referências


AQUINO, W. D.; SANTANA, A. C. D. Evidenciação. Caderno de estudos, (5), 01-40, 1992.

ATTIE, W. Auditoria. Conceitos e Aplicações. 5ª. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

BRAGA, J. P.; SALOTTI, B. M. Relação entre nível de disclosure ambiental e características corporativas de empresas no Brasil. In.: Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, 2008.

CHO, C. H.; LAINE, M.; ROBERTS, R. W.; RODRIGUEZ, M. Organized hypocrisy, organizational façades, and sustainability reporting. Accounting, Organizations and Society, 40, 78-94, 2015.

CHO, C. H.; PATTEN, D. M. The role of environmental disclosures as tools of legitimacy: A research note. Accounting, organizations and society, 32(7-8), 639-647, 2007.

D'AMELIO, M. T. S. Estudos de gases de efeito estufa na Amazônia. Dissertação (mestrado) - Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, São Paulo, 2006.

DIAS FILHO, J. M. Políticas de evidenciação contábil: um estudo do poder preditivo e explicativo da teoria da legitimidade. In: EnANPAD, n. 31. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

FARIAS, L. D. G. Q.; ANDRADE, J. C. S. Evidenciação Ambiental para o Enfrentamento das Mudanças Climáticas: as respostas das empresas participantes do Carbon Disclosure Project. Revista Reuna, 18(3), 111-126, 2013.

IUDÍCIBUS, Sérgio de. Teoria da Contabilidade. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

LIMA, D. V. D.; VIEGAS, W. Tratamento contábil e evidenciação das externalidades ecológicas. Revista Contabilidade & Finanças, 13(30), 46-53, 2002.

LINDBLOM, C. K. The implications of organizational legitimacy for corporate social performance and disclosure. In: Rob Gray, J. B. A. S. G. Social and environmental accounting. Los Angeles: SAGE, v. II, 2010.

LOUZADA, L. C. Fatores que influenciam a capacidade de geração, comunicação e Informação das Demonstrações Contábeis. Universo Acadêmico, Nova Venécia, V.2, n.2, p. 13-32, 2002.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Editora Atlas, 2007.

O’DONOVAN, G. Environmental disclosures in the annual report: Extending the applicability and predictive power of legitimacy theory. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 15(3), 344-371, 2002.

PIRES, C. B.; SILVEIRA, F. C. S. A evolução da evidenciação das informações ambientais de empresas do setor de celulose e papel: uma análise de conteúdo das notas explicativas e relatórios de administração. ConTexto, 8(13), 2008.

SANCOVSCHI, M.; SILVA, A. H. C. Evidenciação social corporativa: estudo de caso da empresa Petróleo Brasileiro S.A. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 1(1), 2010.

SHOCKER, A. D.; SETHI, S. P. An approach to incorporating societal preferences in developing corporate action strategies. California Management Review, 15(4), 97-105, 1973.

SUCHMAN, M. C. Managing legitimacy: Strategic and institutional approaches. Academy of Management Review, 20(3), 571-610, 1995.

TAVARES, L. C. C. Novo Relatório dos Auditores Independentes: Um Estudo dos Principais Assuntos de Auditoria nas Companhias Listadas na BM&FBOVESPA. (Monografia). Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2017, 47p.

VILELA JUNIOR, A.; DEMAJOROVIC, J. Modelos e ferramentas de gestão ambiental: desafios e perspectivas para as organizações. In.: Modelos e ferramentas de gestão ambiental: desafios e perspectivas para as organizações. 3ª. ed. São Paulo: Senac, 2006, p. 41-84.

LEMOS, V. D. S.; KLUG, Y. S.; CRUZ, A. P. C.; BARBOSA, M. A. G. Conservadorismo Contábil na Legitimação das Empresas de Capital Aberto do setor de Minério no Brasil. Anais do XVIII USP Internetional Conference in Accounting. São Paulo: FEA/USP, 2018.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em Administração. São Paulo: Atlas, 2009. 44p.

WINK, P. K. S.; VASCONCELOS, A. L. F. S.; LAGIOIA, U. C. T.; KATO, M. T.; NOSSA, V. Reação aos acidentes ambientais: um estudo em uma mineradora no mercado brasileiro. BASE - Revista de Administração e Contabilidade da UNISINOS, v. 12, n. 1, p. 52-67, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.